Narcolepsia

A narcolepsia é caracterizada por um quadro de sonolência diurna excessiva com uma tendência de cair no sono em horas inapropriadas. Esta sonolência pode ser desencadeada por situações de estresse e não são aliviadas com uma boa quantidade de sono à noite. Além deste quadro pode ocorrer breve perda abrupta da força e controle muscular (cataplexia), sensação de estar acordado e não conseguir se mexer na cama (paralisa do sono) e alucinações auditivas ou visuais que aparecem logo antes de iniciar o sono (alucinações hipinagógicas).

A perda da força muscular pode ser específica a um grupo muscular ou generalizada (neste caso, a pessoa chega a cair no chão). Este quadro pode aparecer repentinamente ou pode se desenvolver gradualmente. Ainda, a sonolência excessiva pode ser o único sintoma.
A narcolepsia é uma doença de origem genética que afeta parte do cérebro responsável pelo controle do sono e da vigília.

Procurar um especialista é o passo inicial da investigação, sendo importante descartar outras causas que possam estar interferindo no sono. O diagnóstico é feito por uma avaliação noturna do sono (polissonografia) e durante o decorrer do dia seguinte ao exame, para avaliar 05 períodos de cochilos diurnos. A narcolepsia quando diagnosticada não pode ser curada, mas há medidas para controlar os sintomas da doença. O tratamento vai depender do grau dos sintomas e por isto deve ser programado individualmente com o médico responsável pelo paciente. É importante salientar que pessoas que sofrem de narcolepsia precisam ter cuidado com atividades consideradas perigosas, como dirigir e cozinhar, pela possibilidade de caírem no sono sem controle.

Fonte: Sociedade Brasileira de Sono